Atendimento

O Açaí é o fruto de uma palmeira da família Arecaceae (= Palmae), chamada popularmente de Açaizeiro (Euterpe oleracea Mart.). É uma árvore nativa da Amazônia que costuma ser alta e delgada, com folhas bastante longas. Algumas destas palmeiras chegam a atingir mais de 18 metros de altura. São encontradas em formas de maciços naturais conhecidos como açaizais e é a frutífera mais importante e tradicional das várzeas e igapós do estuário Amazônico, pela sua abundância e por produzir importante alimento para as populações locais. Tem se destacado devido a sua grande capacidade de adaptação ao ecossistema e pela facilidade de reconstituir o revestimento florístico.

Prefere locais quentes e úmidos, como margem de rios e mangues, mas pesquisadores da várias entidades brasileiras estão desenvolvendo a planta para que esta possa ser utilizada em escala de monocultura, como manejo produtivo. Estima-se uma área de mais de um milhão de hectares, seja como uma espécie componente da floresta nativa ou em forma de maciços naturais conhecidos como açaizais. O Estado do Pará é o principal centro de dispersão dessa palmácea. Também é o maior produtor de frutos, com mais de 90% da produção nacional. Populações espontâneas também são encontradas nos estados do Amapá, Tocantins, Rondônia e em países da América do Sul (Venezuela, Colômbia, Equador, Suriname e Guiana) e na América Central (Panamá). A produção da polpa do seu fruto era destinada totalmente ao consumo da população local. Porém, agora conquistou novos mercados e se transformou em importante fonte de renda e emprego. Também o incremento das exportações provocou a escassez e a elevação dos preços do produto em grande parte do ano, principalmente no período de entressafra que ocorre de janeiro a junho. Por isso, a partir da década de 90, o tradicional extrativismo, que ainda responde com 80% da produção de frutos, passou a dividir a cena amazônica com "Cultivos de Sistemas Manejados", que responde pelos 20% restantes da produção. Podem ser solteiros ou consorciados e são cultivados nas áreas de várzeas e terras firmes, localizadas em regiões com maior precipitação pluviométrica. Também podem ser implantados em regiões que apresentam déficit hídrico em alguns meses do ano, desde que haja a suplementação da água através de irrigações. A implementação do sistema manejado apresenta várias vantagens como: o aumento de produtividade por área cultivada; redução dos custos de transporte dos frutos, localizando as plantações próximas à fábrica extratora; melhor qualidade da polpa extraída; recuperação de áreas desmatadas, etc.


E m Belém, estima-se a existência de mais de quatro mil pontos de vendas, comercializando no período da safra, cerca de duzentos mil litros por dia do popular Açaí, que é rico em Potássio, Cálcio, Fósforo, Magnésio e Vitamina E.

É um poderoso antioxidante natural, atuando na eliminação dos radicais livres, assegurando uma melhor circulação sanguínea e, consequentemente, proporcionando uma melhor qualidade de vida aos seus consumidores. Por estes e outros motivos, se afirma que esta frutífera amazônica é parte importante do folclore paraense.

The açaizeiro, besides beingan important food, provides raw material to the palm heart industry (stem), to the cosmetics industry (fruit) and to the jewelry industry (seed). This is why, it´s said that this palm tree has a great commercial value. Even its branches are often used in arrangements for interior decoration and its leaves are widely used by the natives to make beautiful and traditional roofs of houses, like the indigenous Malocas.

A colheita do fruto ainda hoje é, em sua maioria, feita manualmente, onde o ribeirinho sobe até o topo da palmeira com auxílio de um laço feito com as próprias folhas do açaizeiro chamado "Peconha", corta o cacho e desce escorregando.

Açaí é a denominação dada tanto ao fruto, espécie de coquinho com polpa externa ("carne"), como ao suco ("caldo") que é obtido ao final do processo. É consumido pelos nativos em forma de papa, extraída através da maceração das suas sementes com ajuda de água em peneiras de palha, colhida posteriormente a papa em alguidares de barro. Esta é a técnica historicamente utilizada na extração do Açaí, que hoje é chamada de Extração Artesanal.

Já a Extração Industrial conta com um processo muito mais elaborado e com um controle de qualidade bem mais rigoroso, de forma que sejam atendidas as exigências dos órgãos reguladores.

De uma maneira resumida, o processo industrial seria assim:

  • Transporte do ponto de colheita até a fábrica em basquetas plásticas;
  • Aeração do caroço para separação de resíduos sólidos provenientes da colheita;
  • Lavagem do caroço em solução clorada para eliminação dos microrganismos nocivos;
  • Vários enxágues com água filtrada;
  • Maceração em equipamentos isolados, feitos em aço inoxidável, para separação da polpa e do caroço. Utiliza-se para isto apenas água, devidamente tratada;
  • Pasteurização;
  • Envasamento em embalagens plásticas atóxicas, em processo 100% automatizado.
  • Acondicionamento em câmaras frigoríficas para rápido congelamento, a uma temperatura média de -18ºC;
  • Acomodação e armazenagem em caixas de papelão ou sacos de ráfia para proteção das embalagens;
  • Preparação para o transporte em carretas frigoríficas, até o local de consumo.

Como resultando deste processo, temos três tipos de consistência; a fina, a média e a grossa. Porém, preferencialmente utiliza-se a denominação Popular, Médio ou Especial, que são as formas regulamentadas pelo Ministério da Agricultura para a comercialização do Açaí.

Tradicionalmente servido na cuia, acompanhado da farinha d'água, farinha de tapioca, peixe, carne, charque ou camarão salgado, muitas vezes substitui uma refeição. Quando não, é degustado como sobremesa, com a adição de açúcar.

O Açaí está sendo largamente consumidos em outras regiões brasileiras, em forma de energético, misturado com pó ou xarope de Guaraná, farelos de cereal e frutas secas, chamados "Granola", além de outras frutas, como banana, morango, kiwi etc.


Dados botânicos e regiões de ocorrências:

O gênero Euterpe congrega algo em torno de 28 espécies, distribuídas desde as Antilhas até as regiões florestais Amazônicos do Peru. Para nós brasileiros, três são espécies importantes desse gênero: a Euterpe precatória, MART: que ocorre desde as regiões central e ocidental da Amazônia, indo até os contra fortes dos Andes; a Euterpe edulis, MART: que ocorre nas florestas atlânticas e do centro-sul do país e a Euterpe oleracea, MART: a mais importante, principalmente para os paraenses pela sua importância alimentar e econômica. Veja a seguir as suas informações: (tabela de informação nutricional)


Área de ocorrência:

É palmeira tipicamente tropical, nativa da Amazônia, encontrada em estado silvestre e fazendo parte da vegetação florística das várzeas, igapós e matas de terra firme. Ocorre, principalmente, em toda a extensão do estuário amazônico, indo do Maranhão ao Amapá e no Pará, acompanhando o vale do baixo Amazonas, estendendo-se às Guianas, Venezuela, Colômbia, Equador, Suriname e na América Central no Panamá. Embora o açaizeiro ocupe toda esta extensão territorial, a sua produção econômica de frutos está concentrada no Estado do Pará, tornando este o maior produtor nacional, com mais de 90% da produção total. No Estado, a produção é creditada basicamente às microrregiões de Cametá, Furos de Breves, Arari, Belém, Salgado e Guamá, que respondem por 97% da produção Estadual. Em termos de ofertas de frutos tem destacadas participações os Municípios de Cametá, Limoeiro do Ajuru, Abaetetuba, Igarapé-Miri, Ponta de Pedras e Mocajuba.

Fonte: Rajá Frutas

Copyright 2012 - Rajá Frutas - Todos os direitos reservados Bredi - Criação web sob medida