Rajá Notícias

Açaí é usado como terapia durante pós-operatório em hospital público de Belém

Fruto é servido para favorecer adesão ao tratamento, a partir do resgate de memórias afetivas.

Paciente tomando açaí no Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (HC), em Belém. — Foto: Reprodução / Agência Pará

Paciente tomando açaí no Hospital de Clínicas Gaspar Vianna (HC), em Belém. — Foto: Reprodução / Agência Pará

Hábito de muitos paraenses, o açaí tem sido utilizado como terapia para ajudar na recuperação após cirurgias em hospital público de Belém. Já que o consumo precisa ser suspenso durante a internação, os pacientes acabam ficando longe da tigela que é para muitos o momento mais especial das refeições.

Maria do Socorro Rocha, de 52 anos, conta que ainda tem dificuldades para lembrar qual o maior período que havia ficado sem tomar o açaí, até que fez uma cirurgia no coração no Hospital de Clínicas Gaspar Vianna e a última semana certamente entrou na lista.

Na última sexta, a paciente foi surpreendida com uma sobremesa após o almoço. “Fiquei muito feliz. Estava sentindo falta, e não esperava poder voltar a tomar açaí antes de voltar para casa”, disse.

O hospital é referência em cardiologia, nefrologia e psiquiatria e vem experimentando a oferta de açaí aos pacientes para favorecer a adesão ao tratamento, a partir do resgate de memórias afetivas despertadas pelo alimento.

Para os profissionais de saúde envolvidos na iniciativa, a retomada do açaí pode até ajudar trazendo resultados positivos ao paciente, além do ganho nutricional.

“Alguns pacientes estão conosco há mais de uma semana e queremos possam retornar o quanto antes à rotina de alimentação normal, de forma segura e dentro das condições de cada um”, afirma Karina Sayumi, fonoaudióloga.

Segundo Sayumi, o uso do açaí acaba se tornando um recurso parte do tratamento, evitando o retorno ao uso de dispositivos auxiliares, como sondas.

No hospital, a experiência mais recente havia sido feita com crianças na Clínica Pediátrica. Desta vez, os beneficiados são pacientes em tratamento nas unidades de Terapia Intensiva (UTIs) adulta e coronoriana. A oferta do alimento é feita de acordo com avaliação multiprofissional de cada paciente e do estágio do tratamento.

Lorena Cunha, que é responsável pelo setor de nutrição do hospital, aponta os benefícios. “Além de garantir alimentação regionalizada, com memórias afetivas que proporcionam prazer e satisfação, do ponto de vista nutricional é um alimento rico em fibras, cálcio, vitaminas e proteínas vegetais, com alto poder antioxidante, e auxilia no fortalecimento do sistema imunológico”.

A ideia agora, segundo a profissional, é ampliar a oferta do açaí como sobremesa, sempre de acordo com as restrições de cada paciente.

Fonte: G1 Pará

Gostou da notícica? Compartilhe nas redes.

Share on facebook
Facebook
Share on linkedin
Linkdin
Share on pinterest
Pinterest
1